Resenha: Estrelas Além do Tempo

Estrelas Além do Tempo (Hidden Figures), filme com 3 indicações ao Oscar (Melhor Filme, Melhor Atriz Coadjuvante – Octavia Spencer – e Melhor Roteiro Adaptado – Allison Schroeder e Theodore Melfi), é dessesas narrativas que nos emocionam com profundidade e contam uma história muito marcante.
O período de segregação racial nos Estados Unidos é uma mancha na história do país e que até hoje produz consequências de grande impacto na sociedade americana. E é justamente o período em que o Movimento dos Direitos Civis começa a ganhar força e apresentar resistência contra os absurdos racistas cometidos contra a população negra que a história do filme  toma forma.
É também neste período que vemos a corrida espacial ganhar força total, com a Rússia enviando o primeiro homem ao espaço. Somos então apresentados a três mulheres: Katherine Johnson (Taraji P. Henson), Dorothy Vaughan (Octavia Spencer) e Mary Jackson (Janelle Monáe). As três trabalhavam na NASA e se destacaram por suas mentes brilhantes, mesmo enfrentando a dupla barreira de serem mulheres em uma sociedade conservadora e machista e negras em uma sociedade abertamente racista.
Katherine se destacava por sua incrível aptidão com os cálculos e a geometria analítica. Dorothy foi pioneira – e vale dizer, autodidata – no aprendizado do sistema FORTRAN utilizado pelo novo computador da IBM e que ninguém dentro da NASA era capaz de operar. Já Mary tinha forte aptadão para a engenharia apesar de não ser apta a exerce-la dentro da NASA, uma vez que cursos específicos eram exigidos e não permitiam a matrícula de cidadões negros.
A jornada de cada um dessas três brilhantes mulheres mostra sua força e resistência em busca do reconhecimento merecido em seu ambiente de trabalho. Cada uma delas enfrentou diferentes obstáculos à sua maneira, conquistando o respeito que tanto mereciam.
As questões raciais em todos os níveis foram abordadas a todo momento, mas de forma “leve”, sem tirar o protagonismo das conquistas das três personagens centrais. E na medida que essas questões ficam cada vez mais insuportáveis, Katherine, Dorothy e Mary não sentem medo de se fazerem ouvidas. Cada uma delas, mais uma vez, à sua maneira, levanta a voz cotra as injustiças percebidas.
Vale ressaltar a importância do filme não só pelo protagonismo dado da três mulheres negras e pela abordagem das questões raciais. O filme também escancara o sexismo e as questões dos direitos civis, sem perder o tom de delicadeza e caráter inspirador que abraça toda a narrativa.
Ficha Técnica
 
Data de lançamento: 2 de fevereiro de 2017 (2h 06min)
Direção: Theodore Melfi
Elenco: Taraji P. Henson, Octavia Spencer, Janelle Monáe mais
Gêneros: Drama, Biografia
Nacionalidade: EUA

Sinopse

1961. Em plena Guerra Fria, Estados Unidos e União Soviética disputam a supremacia na corrida espacial ao mesmo tempo em que a sociedade norte-americana lida com uma profunda cisão racial, entre brancos e negros. Tal situação é refletida também na NASA, onde um grupo de funcionárias negras é obrigada a trabalhar a parte. É lá que estão Katherine Johnson (Taraji P. Henson), Dorothy Vaughn (Octavia Spencer) e Mary Jackson (Janelle Monáe), grandes amigas que, além de provar sua competência dia após dia, precisam lidar com o preconceito arraigado para que consigam ascender na hierarquia da NASA. (Via)

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s